9 de jul de 2009

Honduras: internet é a arma dos jovens contra a ditadura. Educadores orientem seus alunos

Se antes eram pedras e bolas de gude as "armas estudantis" em 1968, segundo glossário preparado por Mino Carta, ainda na Veja, publicado pela Revista num especial sobre o século XX nos anos 70, hoje, sem dúvida, as armas da juventude são a tecnologia.

Com câmeras de celulares, os jovens hondurenhos que resistem ao golpe contra o presidente Manuel Zelaya criaram na internet a "Tele golpe de estado", para mostrar o que as cadeias midiáticas ainda permitidas no país não exibem, como as imagens das manifestações a favor de Zelaya e condenatórias ao golpe por líderes e organismos internacionais.

Até hoje, os jovens da capital Tegucigalpa enviaram mais de 26 vídeos ao YouTube com cenas das manifestações e os protestos do mundo. O campeão de acesos é o "Nas Honduras não se passa nada"

Os internautas ligam os seus computadores na rua, para mostrar as imagens a quem passa, pois só 11%dos lares hondurenhos terem acesso à internet.
A imprensa está sobre forte censura em Honduras. Até mesmo a CNN chegou a ser tirada do ar nos dois primeiros dias após o golpe militar. A Telesur foi cortada dos pacotes de TV à Cabo.

Mas, para calar a juventude, nem que suspendam a toda a conexão com a rede mundial de computadores.

Por Leopoldo Vieira - Juventude Socialista - 07.09

Nenhum comentário:

Postar um comentário