2 de set de 2010

Serra perde mais uma vez para delegados na Justiça


É a terceira vez que tucano tenta barrar informações sobre a segurança pública no Estado
A corte do TER (Tribunal Regional Eleitoral) de São Paulo, por seis votos a zero, considerou improcedente, mais uma vez, a alegação de que a campanha publicitária da Adpesp (Associação dos Delegados de Polícia do Estado de São Paulo) teria conteúdo eleitoral negativo. De acordo com Luís Francisco Aguilar Cortez, relator, a iniciativa da Adpesp não caracteriza conteúdo eleitoral, e sim um informativo da realidade em que se encontra a carreira de delegado de polícia em São Paulo.
A decisão da Justiça confirma a legitimidade da campanha da Adpesp, que vem informando a mídia e a sociedade. Entre outros pontos, a Associação apontou que a situação da segurança pública paulista é crítica, uma vez que faltam delegados em 30% dos municípios do interior, e os que estão em exercício têm a pior folha de pagamento do país.
 Já é a terceira negativa à Coligação Unidos Por São Paulo, que tem como maior partido o PSDB, responsável pelo atual governo paulista. Os números citados pela Adpesp são condizentes com a situação da carreira de um delegado paulista. A decisão, que contou com unanimidade dos seis desembargadores responsáveis, legitima a luta da Associação para que os interesses da classe sejam defendidos, e não os de um partido.
De acordo com Marilda Pansonato Pinheiro, presidente da Adpesp, os interesses da classe estão muito acima de interesses políticos. “Se eles estão tentando nos parar, é porque não querem repercutir a verdade” diz. Pinheiro ressalta, também, que a Adpesp está aberta para que todos os partidos políticos manifestem suas propostas para a área. “Somos apartidários, e estamos dispostos a ouvir as propostas de todos, inclusive a do PSDB” conclui.
A presidente acrescenta, ainda, que “as informações não envergonham só os delegados de polícia. É certo que envergonham profundamente o PSDB. Mas, em vez de conversarem com os delegados, eles vão à Justiça com uma requisição pífia. Esse é o tratamento que estamos recebendo há 16 anos, e nada mais justo que a sociedade saiba disso”.
 Veja os números divulgados:

- 31% das cidades do estado não têm delegados titulares;
- desde 1995, enquanto a população de SP cresceu 21%, o número de policiais civis se mantém o mesmo;
- são apenas 3,2 mil delegados para os 42 milhões de habitantes de SP;
- o estado mais rico da nação é o que pior remunera seus delegados de polícia.

Do Jornal ABDC Maior -02.09.10

Nenhum comentário:

Postar um comentário