18 de dez de 2011

Hoje na Livraria da Vila, 18h30, Malha ferroviária paulista traduzida em fotos poéticas

Imagem: Iatan Canabrava registrou a neblina em Paranapiacaba - SP

Segunda obra do projeto 'Vaievem', que já havia mirado as lentes para o Rio, registra as linhas férreas de sete cidades do Estado

Cento e oito belas fotografias retratam ruínas, fragmentos, vagões e trilhos paulistas. Trata-se do livro Vaievem - Um Passeio Visual Pela Rede Ferroviária do Estado de São Paulo, com lançamento marcado para as 18h30 de hoje. 

O trabalho reúne material produzido por seis renomados fotógrafos: Cássio Vasconcellos, Júlio Bittencourt, Cris Bierrenbach, Guilherme Maranhão, Iatã Cannabrava e Kelly Lima. Em comum, a paixão pelos trens. "Fotógrafos em geral gostam de trem", conta Vasconcellos. "E é um tema que sempre me interessou: a logística, o transporte, a história..."

As curadoras do projeto, Monica Mansur e Claudia Tavares, convidaram os fotógrafos a percorrer a rede paulista de estradas de ferro. Cada expedição resultou em imagens poéticas e lúdicas, que retratam ferrovias, trilhos, trabalhadores, pessoas comuns e paisagens - urbanas ou naturais.

Cada fotógrafo escolheu a cidade que gostaria de registrar. Assim, o livro traz imagens de Jundiaí, Mogi das Cruzes, Suzano, Santo André (especificamente a vila de Paranapiacaba), Cubatão, Guararema e a própria capital paulista. "Fiz algumas imagens aéreas na região da Lapa", comenta Vasconcellos, que levou de três a quatro dias para produzir as fotos, em agosto. 

Contraste. Com o projeto, Iatã Cannabrava decidiu retomar, tratar e reeditar cliques que havia feito 12 anos atrás, em Paranapiacaba. "São fotos que sintetizam três de meus fascínios", explica. "As linhas de trem, a própria fotografia e a natureza. A Serra do Mar é uma das coisas mais incríveis do País."

Seu material impressiona pela maneira como a paisagem sempre carregada de neblina de Paranapiacaba é registrada, como que se sobrepondo aos trilhos velhos e gastos.

O ponto escolhido para os cliques não foi à toa. "Trata-se de um trecho que mostra o nonsense dessa obra de engenharia dos ingleses", diz Cannabrava. "Eles fizeram essa ferrovia no morro, em um plano inclinado. É uma engenharia impressionante."

Vaievem - Um Passeio Visual Pela Rede Ferroviária do Estado de São Paulo é o segundo livro de um projeto que procura documentar artisticamente a malha ferroviária brasileira. Em 2010, foi lançado Vaievem - Um Passeio Visual Pela Rede Ferroviária do Estado do Rio de Janeiro, com fotografias de Rogério Reis, Flávio Colker, Daniela Dacorso, Kitty Paranaguá, Vicente de Mello, José Diniz, Lucia Vilaseca, Claudia Tavares, Monica Mansur e Renan Cepeda.
 
Malha
28 milkm é a malha ferroviária no Estado de São Paulo
18 milkm são subutilizados ou nem sequer utilizados
1867foi o ano de inauguração, pela São Paulo Railway Company, da primeira ferrovia paulista, entre Santos e Jundiaí - atualmente administrada pela MRS Logística

Serviço

LANÇAMENTO DO LIVRO ‘VAIEVEM’. 
HOJE, ÀS 18H30
NA LIVRARIA DA VILA (RUA FRADIQUE COUTINHO, 915
TEL.: 11-3814-5811). 160 PÁGS., R$ 80

Nenhum comentário:

Postar um comentário