9 de jun de 2009

SÃO PAULO - PROGRESSÃO AUTOMÁTICA E REPROVAÇÃO: DEBATE - CICLOS NO ENSINO DA CIDADE

Na Ação Educativa - 10.06

Dados organizados pelo Sistema Intraurbano de Direitos Humanos (SIM), da Comissão Municipal de Direitos Humanos, divulgados pela imprensa no começo do ano, mostram que a reprovação, tanto no Ensino Fundamental, quanto no Ensino Médio - o que, portanto, envolve as redes municipal e estadual – aumentou significativamente em 2005 e 2006. Portanto, debater a proposta dos ciclos, da progressão automática e o tema da reprovação continua a ser fundamental para os educadores, estudantes e demais atores da educação na cidade.

Debatedoras:

Helena Singer - socióloga, diretora pedagógica da Associação Escola Aprendiz;

Zoraide Faustinoni - pedagoga, assessora da coordenação técnica do Cenpec – Centro de Estudos e Pesquisa em Educação, Cultura e Ação Comunitária.

Após as falas iniciais, teremos tempo para a discussão com os participantes.

Algumas informações:

Organização: GT Educação do Movimento Nossa São Paulo -JUSTIÇA

Para facilitar a organização do espaço enviar e-mail de confirmação para samantha.neves@acaoeducativa.org

Data e local:

10 de junho, 4ª, às 15h

Rua General Jardim, 660 Sala 22

2 comentários:

  1. oi, obrigado pelo apoio ao blog "QUEM TEM MEDO DO LULA?". Vou te add nos meus links. Conto com seu apoio na divulgação da verdade. Abs

    ResponderExcluir
  2. Fábio de Oliveira Ribeiro14/06/2009 02:28

    Fui aluno de escola pública na década de 1970. Muitos de meus professores eram adeptos da pedagogia do Piaget. Em casa, entretanto, a pedagoria da minha mãe era a do Pinochet mesmo. Na escola recebi o estímulo, em casa o reforço. A certeza de que nota baixa e chinelada eram coisas intimamente ligadas era terrível, mas funcionou no meu caso. Nunca repeti de ano e hoje tenho duas graduações universitárias. Se um dia for obrigado a deixar uma profissão não morrerei de fome porque tenho outra.

    Em razão do ECA e das transformações sociais que ocorreram nos últimos 30 anos, os pais não usam (na verdade não podem mais usar) a pedagogia do Pinochet. Na escola pública a progressão continuada se tornou uma triste realidade. E segue deformando todas as escolas pedagógicas.

    A única pedagoria em vigor no Brasil é a da Esfinge:

    "Decifra-me ou te devoro!"

    O futuro dos brasileirinhos (especialmente dos mais pobres que dependem da escola pública) está sendo deliberadamente devorado. Em algumas décadas a separação entre os ricos e pobres será tão completa, absoluta, impiedosa, brutal e intocável que o única saída para os brasileiros de classe baixa será a criminalidade.

    Ops... acho que estou me enganando. A criminalidade já está se transformando na única fonte de renda para os pobres desesperançados de todas as cores. Pior... o sofrimento dos milhares de presidiários e dos milhões de candidatos a presidiários se tornou a fonte de lucros dos construtores de presídios. O país optou por transformar seus cidadãos pobres em bandidos para depois encarcerá-los nos presídios construídos pelas empreiteiras (as mesmas que dão dinheiros aos políticos que apoiam a progressão continuada).

    ResponderExcluir