11 de jun de 2009

Paralisação do judiciário, do Estado de São Paulo, causou preocupação na Associação dos Advogados de SP

AASP manifesta preocupação com a notícia de paralisação do Judiciário paulista A Associação dos Advogados de São Paulo vem a público manifestar a sua preocupação com a notícia de que as entidades representativas dos Servidores do Poder Judiciário Estadual decidiram deflagrar a paralisação de 70% dos serviços públicos, em decorrência de movimento grevista por melhores salários e ampliação de vagas, dentre outros benefícios reivindicados.

Ainda que se possa vislumbrar alguma razão no descontentamento dos Senhores Servidores que aderiram ao movimento, a AASP vem exortá-los a não fecharem as portas para o diálogo, uma vez que a solução negociada apresenta-se como a única alternativa plausível. Pelos mesmos motivos, e exercendo o seu papel institucional, a AASP conclama a Presidência do Tribunal de Justiça e o Governador do Estado a empreenderem os melhores esforços para atender às reivindicações justas, sem descurar de todas as medidas necessárias à plena manutenção dos serviços públicos indispensáveis à administração da Justiça no Estado de São Paulo.

É imperioso que se evite o cenário caótico instaurado a partir do movimento grevista de 2004, cujos efeitos nefastos são sentidos até os dias presentes, especialmente pelos advogados que não têm o poder imediato de interferir nas decisões a serem tomadas, mas que representam a voz da sociedade, vítima primeira de qualquer paralisação da Justiça.

Associação dos Advogados de São Paulo - 09.06.09

Nenhum comentário:

Postar um comentário