26 de mar de 2010

100 mil. É Hoje (26), às 15h. Em greve, professores prometem assembléia em frente ao Palácio de José Serra

Nesta sexta-feira, os professores paulistas que estão em greve, farão assembléia em frente ao Palácio dos Bandeirantes, 26/03, 15 horas. O sindicato espera a presença maciça de professores, podendo chegar a 100 mil. Na sexta-feira passada, na Av. Paulista, estimaram a presença de 60 mil.

O objetivo é se fazerem ouvidos em suas pautas de reivindicações, pelo governo José Serra (PSDB/SP).

José Serra se recusa a dialogar, e usa a Polícia Militar para reprimir manifestações pacíficas com truculência.

O salário base de um professor alfabetizador no Estado de São Paulo (PEB I) é, hoje, de R$ 785,50 (R$ 6,55 por hora aula). É muito pouco e não valoriza a profissão.

Os professores querem um reajuste de 34,3% para que seus salários voltem a ter o poder de compra de março de 1998. Pedem que o governo negocie um plano de reposição, mas em vez de diálogo, são recebidos com cassetetes e spray de pimenta.

Os presidentes das entidades do magistério (APEOESP, APASE, APAMPESP, CPP e UDEMO) estiveram na manhã do dia 23 de março, na Secretaria da Educação para protocolar mais um pedido de audiência para negociação da pauta de reivindicações.

As entidades rebateram as afirmações do secretário da Educação de que não havia sido procurado para negociar. Em 2010 foram protocolados pelo menos três ofícios pedindo audiência para negociar: 19/01, 16/03,23/03.

A falta de canais de negociação levou à greve.

Estudantes secundaristas e univertários, da UNE e da UBES, comparecerão em frente ao Palácio dos Bandeirantes, para dar apoio à luta dos professores.

Por Helena - Os amigos do Lula - 25.03.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário