27 de abr de 2009

Polêmico. Toque de recolher em cidade de Fernandópolis ...

Enfrentamos muita autoridade no país desde quando fomos colonizados. Os índios foram quase extintos pelos europeus, na época da descoberta do território brasileiro. Vivemos épocas de perseguição, escravidão, tortura, o cala boca - repressão.

Quantas pessoas até hoje buscam seus direitos e querem justiça, viver num país digno de igualdade social. Quantos exemplos no nosso país.

Tiradentes, um líder nacional, sonha. Ao ajudante de artilharia Nunes Cardoso, proclama:
- Esta terra há ser um dia maior que a Nova Inglaterra! Mas as suas riquezas só as poderemos alcançar no dia em que nos libertarmos do jugo dos portugueses para sermos os senhores da terra que é nossa.
Nunes Cardoso empalidece. Roga-lhe que nunca mais se refira a tais assuntos…
Mas Tiradentes não desiste. Pede a várias pessoas que lhe traduzam livros políticos ingleses, também a Declaração da Independência americana. Alguns dos livros têm até referências elogiosas à República… Em Vila Rica, na casa de João Rodrigues de Macedo, chegara mesmo a exibir a lista, por ele levantada, dos habitantes da capitania e comentara:
- Têm Vossas Mercês aqui todo este povo açoitado por um só homem, e nós todos a chorarmos como negros – ai, ai... E de três em três anos vem um, e leva um milhão; e os criados levam outro tanto; e como hão-de passar os pobres filhos da América? Se fosse outra nação já se tinha levantado!
Os amigos pedem-lhe que pare. Além disso, tens estado a ser seguido por dois granadeiros, informam-no. Tiradentes primeiro pensa liquidá-los. Depois opta por regressar mais depressa a Minas, quem sabe se na mira de precipitar o golpe... Pede um bacamarte emprestado e inicia os preparativos para a fuga. Mas, vigiado como anda, logo se apercebe que é impossível fugir. Esconde-se.

Este fato temos vivido de outras formas, aqui e no mundo.
Aquele que tem mais poder e força sobre o outro, em termos intelectuais ou financeiros, quer dominar, extrair, usurpar.
Pensar que os ingleses foram os maiores ladrões da época. Uma nação rica, que roubou o Brasil entre outros países, verdadeiros piratas. E os portugueses, espanhóis ...
Se analisarmos o modo como vivemos e a nossa cultura, estamos aplicando em nosso lar e na nossa sociedade, os requicios da metade de um milênio de dominação, por termos sido sempre explorados por todos, até hoje.
Um bom antropologista poderia destacar estes fatos culturais e aplicar na nossa sociedade atual, poderia ser na psicanálise ou na sociologia.
Os brancos foram ruins e malvados com os africanos. Navios negreiros que traziam pessoas inocentes para favorecerem os brancos. Vivemos lutas armadas, ditaduras em toda a nossa existência brasileira.
Não deixando de lado, que o toque de recolher aconteceu nos locais onde a ditadura, o autoritarismo era muito maior.
Hitler com a sua perseguição e querendo na ganãncia dominar o mundo usando a manipulação, seus estudos cabalísticos e toda a sua arquitetura da destruição para saquear um povo judeu, para favorecer e hipnotizar uma nação alemã em troca da pobreza condenando um povo em nome da maior autoridade religiosa de todos os tempos.
Enfrentamos o toque de recolher, em alguns pontos do país, com o comando de locais de drogas, conforme foi mostrado na mídia.
Hoje vivemos a ditabranda, ditadura financeira, da mídia e intelectual etc.
Agora, depois de tudo isso, a cidade de Fernandópolis provou que a queda da violência em um número muito alarmante referindo-se a juventude, que teria a maior participação nos casos de violência, ocorreu por causa do toque de recolher.
Pedagogos, psicólogos e até mesmo os direitos humanos, acham que estamos voltando ao
passado.
Será que isto é legal? Estamos tão atrasados? Será que somos tão machucados, traumatizados e no inconsciente carregamos dentro de nossas condutas regras e
projetamos aquilo que sofremos na nossa história social, política e cultural?

Não pensamos, não meditamos.

Como Platão; estamos voltando talvez para o fundo da caverna, e deixando
eles dominarem.

Pensar, criticar, agir !! Três princípios básicos para a mundança.

EStamos sendo autoritários com os nossos filhos e achando que é legal prender um adolescente, fazendo dele um tigre enjaulado. Não há conversa, diálogo etc.
Chegamos a este ponto em tratar nossos filhos como animais selvagens.

As revoluções nos outros países aconteceram no século 18, 19 ou início do século 20.

Será que estamos tão atrasados, ou os pais não estão atentos com os seus filhos?

A população está distante do poder público; não se reune com os vizinhos; a mídia mascara programas estúpidos e "emburrecedores", manipulam a população e estes deixam de sentar junto com seus filhos, companheiros, parentes para conversar sobre coisas pertinentes aos seus gastos, impostos que pagam, atendimento adequado na saúde, no transporte, na educação.

Será que estamos preguiçosos, vivemos como máquinas, entorpecidos pela mídia manipuladora e deixamos que ditem a nossa vida.

O que está acontecendo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário