26 de jul de 2009

Que vergonha, "proféssor"

Por Azenha - 26.07.09

Caro "proféssor":

Acho que até você já se deu conta de que a Folha perdeu o rumo, né não?

Alguns leitores te subestimam.

Gostei da sua sugestão no caso da ficha falsa da Dilma, que a Folha publicou sem checar:

"No caso Memogate, que citei domingo passado, a rede de TV CBS constituiu comissão independente para apurar o que houve. Seu relatório foi divulgado publicamente e dele resultaram ampla revisão de procedimentos internos da Redação, a demissão de uma produtora e um pedido de desculpas da emissora à audiência. Sugiro à Folha fazer algo similar."

Se a Folha tivesse seguido a sugestão, quem seria demitido?

Acho que não dá para demitir o Otavinho, concorda?

Essa de titular a crítica à reportagem alarmista sobre a gripe suína de "No limite da irresponsabilidade", então, foi ótima.

Pelo que está dito no título e pelo que pode ser inferido a partir dele. Quem foi o tucano que agiu no "limite da irresponsabilidade"?

Pois é, o Otavinho levou o jornal para a zona do perigo e pelo jeito quer que o mundo se exploda.

A pior de todas, sem dúvida, foi a chamada de capa, acima da dobra, para as acusações sem provas do Daniel Dantas, não acha?

Como notou um leitor do Paulo Henrique Amorim, a primeira pergunta que o repórter da Folha fez ao Daniel Dantas foi abjeta...

Ele simplesmente deu uma levantada de bola espetacular para o banqueiro.

Compreendo que a Folha tem de pagar as contas, mas assim?

Que vergonha, proféssor.

abs

do Azenha

Nenhum comentário:

Postar um comentário