24 de mar de 2010

Covardia: José Serra é vaiado e manda PM bater e prender professores

Os professores que foram protestar contra o candidato a Presidência da República, José Serra, na inauguração de uma obra, foram recebidos com golpes de cassetete e spray de pimenta pela PM.


Polícia Militar prende manifestantes durante evento com Serra. PM usou gás de pimenta, cassetetes e escudos para evitar que os cerca professores em greve da se aproximassem do governador José Serra
Quarenta policiais militares da Força Tática tentaram impedir que os manifestantes usassem apitos e gritassem palavras de ordem próximos ao palanque enquanto Serra estava discursava em palanque montado no Hospital Psiquiátrico do Juqueri. Ao fim do discurso, o governador não quis falar
"A gente veio preparado. Na semana passada, tentaram jogar uma pedra no governador", disse o comandante do 23º Batalhão da PM, José Carlos de Campos Junior.Na verdade, não foi uma pedra, foi ovo
Questionado sobre um dos policiais que, durante o tumulto, disse que iria "descer a porrada", o PM respondeu: "Vocês imaginam como são momentos de calor". "Às vezes, se perde a cabeça, mas não existe isso de baixar a porrada"disse o comandante do 23º Batalhão da PM, José Carlos de Campos Junior
A obra foi inaugurada pelo governador José Serra (PSDB).
Serra foi recebido pelo grupo de manifestantes, formados por professores da rede estadual, em greve desde o último dia 8. A categoria começou a gritar palavras de ordem contra o governador, como 'Serra, a culpa é sua, a greve continua'. Cerca de 40 PMs fizeram um cordão no local impedindo que os manifestantes chegassem próximos ao palanque do governador paulista.
Os professores foram recebidos com golpes de cassetete e spray de pimenta pela PM. Até jornalista acabou agredida pela Polícia Militar, por um soldado de prenome Sérgio. O policial retrucou quando questionado por jornalistas. Quem estava no palanque do governador também começou a tossir e ter os olhos irritados pelo spray de pimenta jogado contra os professores. Três manifestantes foram presos.
- Se precisar nós vamos descer porrada sim.
Após a agressão, os manifestantes começaram a gritar 'abaixo à repressão, professor não é ladrão' e chamar o governador, que discursava, de ditador. Serra também foi calorosamente vaiado durante seu discurso e saiu do evento sem comentar a manifestação nem o confronto.
Essa é a segunda vez em uma semana que o governador é recebido com vais pela categoria. Na quarta-feira passada, Serra foi vaiado por professores durante inauguração de uma escola técnica em Francisco Morato, também na Grande São Paulo. Os grevistas chegaram a atirar ovos contra o carro oficial de Serra e trocaram socos e pontapés com seguranças que faziam a escolta do governador.

Na Agência Estado

Por Helena - Os amigos do Lula - 24.03.2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário